Todas as fases de uma gravidez são importantes e requerem cuidado, mas quando você é mãe de primeira viagem tudo parece um pouco mais complicado e às vezes até mais difícil.

É normal que os pais e as mães se sintam inseguros e com dúvidas. Existem mulheres que se preocupam muito durante a gestação e depois, quando o pequeno nasce. Elas sofrem muito com o choro do filho e também existem mães que ficam medo de o bebê não estar se alimentando direito.

Geralmente, os pais e as mães deixam tudo planejado, como será o parto, o que levar para a maternidade, como será o pós-parto e fazem de tudo para que cada detalhe saia como programado.

São muitos detalhes e desafios sim, mas não se preocupe, neste texto preparamos dicas super legais e importantes para te ajudar nesse momento tão especial da vida.

Boa leitura! 😀

Dicas de saúde para mães de primeira viagem

1. Visite obstetras e pediatras com antecedência

Assim que a gravidez for confirmada, visite um médico obstetra e comece a pesquisar por pediatras disponíveis.

O pediatra, você pode visitar entre o segundo e terceiro semestre de gestação, mas o obstetra e a maternidade é importante que sejam definidos logo no início. Dessa forma, você evita aborrecimentos em momentos mais críticos.

Fazer o pré-natal é fundamental para a gravidez!

2. Tenha uma rede de apoio

Família e amigos são fundamentais nessa fase. O começo da maternidade pode ser bem difícil: com noites mal dormidas, novos sentimentos, os hormônios a flor da pele e mudança total da rotina.

Por isso, não tenha vergonha e peça ajuda, pois nessa fase toda ajuda será bem-vinda!

São nossos amigos e familiares que formam nossa rede de apoio, que proporciona força e ajudará cada mãe, para que elas possam curtir essa fase da melhor forma possível.

3. Planeje o parto

Infelizmente, durante o parto, podem acontecer imprevistos e alterar o que os pais haviam planejado.

Porém, o nascimento do bebê é um momento muito importante e ainda que possam existir complicações inesperadas, os pais devem se prevenir e cuidar para que ele ocorra de acordo com as suas preferências.

É fundamental converse com o obstetra, realizar todos os exames, tirar todas as dúvidas antes do parto e até mesmo conversa a mulher conversar com outras que já tiveram a experiência.

4. Cuide da sua saúde física e emocional

É muito importante que a mãe se alimente bem, durma o suficiente, descanse quando necessário, faça os exercícios orientados pelo médico e não se isole socialmente.

Além disso, compareça a todas as consultas médicas e faça os exames solicitados. Estar bem é fundamental para que você consiga cuidar do pequeno.

Powered by Rock Convert

5. Descanse nas últimas semanas antes da data do parto

É comum, que muitas mulheres tenham dificuldades para dormir no final da gravidez, pois a barriga e a ansiedade estão grandes demais. Porém, ainda que você não consiga dormir bem, é importante que descanse o máximo possível nessa fase.

A mãe precisará de muita energia para o parto e a primeira semana no bebê em casa é bastante cansativa.

Serão muitas novidade e adaptações e, por isso, a grávida precisa guardar alguma energia e estar preparada.

Quais exames a grávida deve fazer?

Como comentamos no tópico anterior, é fundamental que a mãe faça pré-natal e realize todos os exames necessários. Para isso, preparamos uma lista com os exames necessários durante uma gravidez.

Sangue

É importante que gestante faça quatro exames de sangue:

Tipo sanguíneo e do fator RH:

O objetivo é identificar o grupo sanguíneo da mãe e verificar se ela apresenta o fator RH negativo ou positivo.

Caso a mãe esteja grávida pela segunda vez e for RH negativo e o pai RH positivo, há o risco de a mãe produzir anticorpos contra o sangue do bebê, que pode ser RH positivo. Neste caso, há riscos para a saúde do feto, que podem ser evitados por meio da aplicação de uma imunoglobulina específica.

Hemograma:

É o exame que costumamos realizar com certa regularidade. Durante a gravidez, o hemograma tem o objetivo é detectar uma possível anemia e infecções.

Glicemia:

Ele detecta a existência da diabetes e, em casos mais leves, a intolerância à glicose. Essas duas situações podem se manifestar durante a gestação e o exame precisa ser realizado logo no início da gravidez e repetido entre 26 e 28 semanas.

Sorologia:

Esse exame detecta doenças logo no início (precocemente), como sífilis, rubéola, toxoplasmose, hepatite e HIV. Quando não detectar nenhuma doença, deve ser repetido nos trimestres seguintes.

Urina

De modo geral, o exame de urina pode identificar diversos fatores. Entre eles, o exame O detecta a presença de infecção urinária, relativamente comum em mulheres. Mas também é útil para o acompanhamento de gestantes diabéticas, hipertensas ou para identificar a presença de proteína na urina.

Ultrassonografia

A ultrassonografia além de descobrir o sexo do bebê, também é fundamental para verificar sua posição, idade gestacional, data provável do parto e desenvolvimento dos órgãos.

A ultrassonografia também detecta se a gestante está ou não grávida de gêmeos.

Papanicolau

Esse exame, que precisa ser realizado anualmente por todas as mulheres, tem o objetivo de prevenir o câncer de colo de útero. A gestante deve fazê-lo uma vez.

Pesquisa de estreptococo do grupo B

O exame é utilizado para identificar a presença da bactéria, ele analisa a secreção vaginal da mulher no final da gravidez. Caso necessário, ela é tratada com antibiótico específico durante o pré-natal. Em alguns casos, o tratamento se estende ao período em que a mulher fica na maternidade.

Quando a gestante apresenta o estreptococo do grupo B, uma bactéria, o bebê pode sofrer com graves problemas respiratórios após o nascimento, independentemente do parto ser normal ou cesariana.

São muitos detalhes que precisam ser observados durante uma gravidez. No Centro Médico Saúde da Família, em Natal, as grávidas têm todo o acompanhamento necessário.

Para marcar uma consulta, é bem fácil. Basta clicar aqui e mandar uma mensagem.

Deixar uma Mensagem de Resposta

× Agende sua Consulta!