Você sabia que 4 em cada 10 brasileiros têm colesterol alto? Isso mesmo. Isso representa 40% da população, aproximadamente, 60 milhões de pessoas.

Esse dado foi levantado pela Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC). A pesquisa ainda verificou que 11% do brasileiros nunca fez exame de colesterol e 70% só realizou o exame depois dos 45 anos.

São números que servem como um alerta para a nossa saúde. Neste texto, vamos falar um pouco sobre o colesterol. Responderemos algumas perguntas como: o que é o colesterol? Como tratar o colesterol alto e algumas dicas de saúde.

Boa leitura!

O que é colesterol?

O colesterol é um tipo de gordura, que é produzida pelo fígado. O colesterol é responsável pela sintetização de hormônios, como vitamina D, testosterona e estrógeno, e componente das membranas celulares.

Cerca de 70% do colesterol é produzido pelo nosso corpo e o restante é adquirido pela alimentação.

Precisamos ficar atentos, pois quando consumimos grandes quantidades de alimentos ricos em gordura, o fígado passa a produzir mais colesterol do que o necessário. Essa produção excessiva significa que as taxas vão de um nível normal de colesterol para um que não é saudável.

É importante destacar que tanto as taxas de colesterol muito altas, quanto as muito baixas são perigosas à saúde.

Existem dois tipos de colesterol no corpo humano que precisam ser monitorados. O colesterol LDL e o HDL.

O LDL é conhecido como colesterol ruim, pois causa o acúmulo de placas de gordura nos vasos sanguíneos. Já o HDL é conhecido como colesterol bom, pois tem a função de retirar o colesterol ruim do nosso sangue e levá-lo para o fígado, onde será eliminado ou reciclado.

O que causa o colesterol alto?

A maioria das situações que causam um nível alto de colesterol podem ser evitadas.

A obesidade, diabetes, hipertensão e sedentarismo são fatores que contribuem para a o surgimento de colesterol alto. Em excesso, ele acelera o entupimento de artérias, levando ao infarto ou ao AVC.

Existem hábitos de ingestão de bebida alcoólica e tabagismo em excesso, que, quando associados a níveis altos de colesterol, podem aumentar o risco de doenças cardiovasculares.

O alcoolismo, por exemplo, age diretamente no fígado, onde o colesterol é metabolizado, e o tabagismo bloqueia a metabolização da gordura.

Porém, existem alguns fatores que geram o colesterol alto que fogem ao nosso controle como: as tendências genéticas, o sexo e a idade.

Por exemplo, durante a menopausa, a mulher tem um risco maior de aumento no colesterol.

Powered by Rock Convert

Isso acontece, porque o hormônio feminino enquanto produzido oferece um efeito protetor sobre o colesterol HDL. Por isso, desde a puberdade até a menopausa, as mulheres geralmente têm níveis mais elevados de colesterol HDL “bom” e níveis mais baixos de colesterol LDL “ruim” do que os homens.

Depois da menopausa, as mulheres geralmente têm níveis mais altos de LDL do que os homens, aumentando as chances de doença coronária.

Sintomas do colesterol alto

Agora que já sabemos melhor o que é o colesterol, vale ressaltar que o colesterol alto não apresenta sintomas e única maneira de saber os níveis de colesterol é através do exame de sangue.

Mesmo quando a pessoa apresenta valores extremamente elevados, ela não apresenta sintomas. Os sintomas como dor no peito, falta de ar e a palpitação podem estar associados a uma doença causada pelo aumento dos níveis de colesterol, como infarto agudo do miocárdio.

Como tratar o colesterol alto

Os primeiros passos que precisamos dar para diminuir altas taxas de colesterol são através de mudanças em nosso estilo de vida.

Hábitos saudáveis, como praticar exercícios e comer uma dieta balanceada, precisam ser prioridade no combate ao colesterol elevado.

Lembrando que não adianta escolher fazer dieta ou exercícios. Isso acontece porque o aumento do colesterol LDL está relacionado a fatores genéticos e alimentares. Todo paciente com colesterol elevado deve combinar a dieta com a prática de exercícios físicos regulares e, se estiver acima do peso, emagrecer é importante.

É importante lembrar que todos os alimentos de origem animal possuem colesterol.

Por isso, dê preferência aos de origem vegetal, como as frutas, verduras, legumes e grãos.

As pessoas que possuem predisposição ao colesterol alto devem seguir as mesmas recomendações e, além disso, se esforçar para, durante o tratamento, manter hábitos de saudáveis, como evitar o fumo e controlar o colesterol e a pressão arterial.

Atenção

Os cuidados com a alimentação devem ser redobrados por pessoas com diabetes. Isso é importante pois diabéticos apresentam riscos de manifestações da aterosclerose de três a quatro vezes maior que as pessoas não-diabéticas. A aterosclerose é o acúmulo de gorduras, colesterol e outras substâncias nas paredes das artérias e dentro delas.

Existem alimentos que ajudam a reduzir as taxas de colesterol no sangue, assim como também existem os que devem ser evitados.

Separamos uma lista com alguns hábitos que ajudam no combate ao alto colesterol:

  • Coma mais frutas e vegetais;

  • Como menos carnes fritas;

  • Coma mais peixe grelhado ou assado;

  • Coma alimentos ricos em fibras (aveia, pães integrais e maçãs);

  • Diminua a ingestão de gorduras saturadas, como gordura de derivados de leite;

  • Limite os alimentos ricos em colesterol (gema de ovo e fígado);

  • Utilize derivados de leite pobres em gordura (leite desnatado, iogurte desnatado e sorvetes light);

  • Evite frituras.

Existem alguns casos em que os hábitos citados acima não são suficientes para garantir a redução do colesterol. Nestes casos, os médicos receitam alguns medicamentos para que essa redução aconteça.

Como comentamos, o colesterol alto não apresenta sintomas, por isso é fundamental termos hábitos saudáveis e visitarmos regularmente o médico para realizar os exames necessários.

Para fazer um exame de sangue completo em Natal ou marcar uma consulta com um clínico geral, basta clicar aqui e mandar uma mensagem para o WhatsApp do Centro Médico Saúde da Família.

Deixar uma Mensagem de Resposta

× Agende sua Consulta!